fbpx

Parashá Êkev: o que D’us quer de você?

Parashá Êkev:

O amor e a reverência a H’shem é uma virtude fundamental para a nossa “aproximação” do Todo-Poderoso. Portanto, a santa Torah espera que sintamos amor e reverência [Ahavah e Yirah] por H’shem. Assim está escrito [Devarim 10: 12]:

“E agora, ó Israel, qual é a coisa que H’shem, teu D’us, pede de ti? Senão que temas a H’shem, teu D’us, que andes em todos Seus caminhos, ames e sirvas a H’shem, teu D’us, com todo o teu coração e com toda a tua alma…”

Mas, o que é temor a D’us? E por que tal característica é tão importante? É o que veremos no decorrer deste estudo.

Os dois tipos de admiração:

É explicado que, existem diferentes níveis de Yirah. Há Yirat Shamayim [i.e. reverência aos Céus] e Yirat Cheit [i.e. literalmente, medo da transgressão. Mas melhor traduzido como repulsão da transgressão].

Devemos entender que estas duas formas de Yirah compartilham a mesma raiz de reverência, se assim posso dizer. Yirat Shamayim é uma mentalidade expressa em nossos pensamentos e sentimentos. Yirat Cheit , contudo, é mais prático, expresso em ações. 

Como resultado de nossa percepção da grandeza infinita de H’shem, sentimos reverência a D’us [Yirat Shamayim] e temos plena consciência da repugnância da transgressão [Yirat Cheit].

Amor e Pavor:

Como sabemos, amor e temor são características opostas. Nossa atração pelo bem e pela santidade – a qualidade positiva do Ahavah – inevitavelmente nos leva à sabedoria e ao amor. Nossa repulsa por tudo que é mau e profanador – a qualidade inversa de Yirah – ajuda a purificar nossos pensamentos e ações.

São características inversas, mas estão interconectadas. Por causa de nossa atração pelo bem, somos repelidos pelo mal. E, evitando o mal, continuamos no caminho da vida, direcionados para aspirações e anseios benéficos.

Os Sábios discordaram da questão básica: qual é a característica mais importante? Qual qualidade é maior – amor a D’us ou temor ao céu? Isto vemos o Talmud [Shabbat 31b] citar em uma discussão entre o rabino Elazar e o rabino Shimon: 

Os dois rabinos estavam sentados juntos quando um terceiro estudioso passou.

O rabino Elazar virou-se para o rabino Shimon. “Vamos nos destacar por esse indivíduo temente a D’us.”

O rabino Shimon respondeu: “Vamos defender este grande estudioso da Torah!”

O rabino Elazar não recuou. “Mencionei sua maior qualidade – que ele temia a D’us – e você insiste em enfatizar uma qualidade menor!”

Este é o significado da afirmação do rabino Elazar: “O Santo só tem respeito pelo Céu em Seu mundo”. 

Além do temor, nada mais precisa existir. Nada mais pode existir. Quando a imagem interior de reverência da mente se expressa no campo da ação, produz uma repulsa a transgressão [i.e. da Torah]. Ao evitar todos os obstáculos, podemos subir o caminho em direção à luz elevada da Fonte da vida [i.e. H’shem].

Essa imagem profunda, secretada nos recessos da mente, identifica a natureza finita do universo como a força primária na Criação e no comportamento ético prático. 

Assim está escrito [Ióv 28: 28]: “O temor de H’shem é a sabedoria!”. Portanto, o temor a D’us é a única verdadeira sabedoria; é a base para todos os outros estudos.

Assim compreendermos a importância de obtermos amor e temor ao Todo-Poderoso, que é uma virtude muito profunda e preciosa para andarmos no caminho da verdade e evitarmos todos os conflitos existenciais.

Quando adquirimos essa forma de sabedoria, contemplando o Infinito para experimentar reverência, um elevado Yirat Shamayim deixa sua marca na alma. 

Esses sentimentos de reverência gerarão um intenso amor a D’us, um desejo de contemplar a luz e os caminhos de D’us, Suas mitzvot e Sua santa Torah.

Adaptado dos ensinos do Rav Kook

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comente este artigo

Pesquise por um curso