fbpx

Família: O Segredo de um bom Relacionamento Familiar

woman playing violin at a dinner table during hanukkah celebration

Uma visão psicoterapêutico-espiritual

Brigas, desentendimentos com a sogra, sogro, o cunhado, a cunhada, qual o segredo dos bons casamentos? Um bom casamento começa antes ou depois?

“Não é suficiente que tu tenhas tirado meu marido?” retrucou Léa. “Agora tu queres até tirar as mandrágoras do meu filho!” (Gênesis 30:15. Vayetsê).

Atender pessoas é fascinante, atender adolescentes desafiador, transformador, realizador! Pérolas, ensinamentos, lições, aprendizados, sabedorias, o livro de Gênesis, Bereshit, está cheio deles! Por exemplo, tratando das relações familiares, entre patriarcas e matriarcas, podemos ver o real significado de família, de estar casado e podemos extrair o segredo para termos um bom relacionamento, em vários lugares, como por exemplo neste trecho:“(…) E foi quando Jacob viu a Rachel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e o rebanho de Labão, irmão de sua mãe, chegou-se Jacob e removeu a pedra de sobre o poço, e deu de beber ao rebanho de Labão, irmão de sua mãe (…)”. Pois é, não é interessante notar que quando a Bíblia, Torá, fala do sogro de Jacó, reitera várias vezes a sua descendência e ao se falar futuramente dos filhos de Jacó, logo usa-se o termo tribos de Israel, não famílias de Israel. Qual lição podemos pegar dessa parábola?

Atendendo online adultos, casais e adolescentes, uma coisa é certa, o poder e a influência das relações e dinâmicas familiares! Do mesmo modo que Jacó não se casou apenas com Raquel, mas com Léa e sua família também se ampliou para seu sogro Labão, ao nos casarmos, não casamos apenas com a pessoa, mas com a “família ampliada”. Com assim Felipe? Em português não conseguimos perceber, mas em inglês invés de falarmos cunhado, cunhada, se fala mother in law, father in law, m brother in law e sister in law, que respectivamente significa, mãe, pai, irmão e irmão pela lei, pois acima de tudo, não nos casamos com a pessoa, mas com a família também, né? Pegou a ideia? Quer abolir grande parte dos problemas de relacionamento? Ao invés de decidir apenas pela química física entre os dois, perceba se a pessoa que quer casar precisa de um suporte familiar positivo, e ajude a pensar como construir esse ambiente, assim, seus valores, planos e projetos poderão ser mais fortes. Em dúvida, fica a ideia de fazermos juntos exercícios para ampliar sua visão, afim de tomar a melhor decisão!

Já sei o que está pensando, bom na teoria é fácil, mas na prática, como ter uma relação significativa Felipe? É possível? Diz a Torá, que Abrahão conheceu Sarah, não pegou Sarah para se casar. Qual a diferença Felipe? Entre as várias diferenças que podemos falar, destaca-se o questionamento com quem você busca se relacionar para ter uma relação para vida: uma Léa ou uma Raquel?

Em uma metáfora Léa são aqueles relacionamentos superficiais e abertos que temos, focados na relação física e pouco no conhecimento sobre o outro, em seus gostos, qualidades e defeitos; uma relação carnal, que depois de um tempo nos casamos e como Jacó que depois descobriu que era Léa que havia se casado, várias pessoas após passar a paixão, “despertam do amor cego”, passam a não ver a outra/outro como uma companhia para passar a vida e a quarentena juntos, tendo como resultado brigas constantes ou a separação futura. E o que é uma relação Raquel? É aquela que antes de casarmos fazemos como Jacó, conhecemos durante um tempo a pessoa, amigos, família, formamos uma amizade, conexão com o outro genuína e daí ao casarmos não nos assustamos com os Labão da família que muitos só percebem depois! Pois é, não é fácil, né? Problemas de casal, no relacionamento? Quantos não teriam se conhecessem, realmente, quem está se relacionando antes de começar algo para vida?

Dificuldade de lidar com seu relacionamentos? Em estar bem consigo para estar com o outro? Você não está sozinho, pode contar comigo, vamos que vamos fazer ainda mais a diferença nesse mundo!

Comente este artigo

Pesquise por um curso