fbpx

4 Segredos para ter um bom relacionamento

unrecognizable couple hugging and sitting on picturesque hilly terrain

Nessa reflexão o psicólogo e terapeuta de casais Felipe Rosenberg fala alguns segredos para ter uma relação significativa e transformadora em suas relações, sejam elas amizades, familiares e conjugais.

Porque muitos relacionamentos não dão certo ou quando dão ocorrem com desentendimentos, coexistência com o outro, submissão pelos filhos e ao outro que “manda”, pelo medo de ficar sozinha(o) na vida?
Relacionar-se com alguém não é um conto de fadas, ainda mais tratando-se dos relacionamentos ocidentais em que vivemos, onde em muitos casos, são caracterizado pela busca da felicidade e comodidade sem a busca pela reciprocidade mútua!


Vale-se pensar: Queremos alguém para suprir nossas necessidades, mas estamos dispostos a suprir as necessidades do outro? Em nos adaptar à uma vida há dois? Afinal, o que é um relacionamento, Felipe?


Duas pessoas que se juntam, mas permanecem com suas vidas, projetos e sonhos intocáveis pré relacionamento ou duas que passam a compartilhar um projeto em comum? É continuar a desenvolver-se profissionalmente e pessoalmente com alguém que gosto de estar ou desenvolver-se, apoiar-se, crescer como casal, família?
Posso dizer,, em minha experiência clínica, que grande parte dos problemas conjugais ou mesmos dos filhos, adultos que vem para terapia é devido há terem nascido em família onde não existem um nós entre os pais, mais dois eus ou melhor, um eu e outro ludibriado que teria um nós antes de se casar!


Discussões, brigas, que sociedade, modelo familiar que estamos formando? Qual a mensagem psicoterapêutico espiritual que a Bíblia, a Torah traz para um relacionamento sólido, significativo, transformador, Felipe?


Nela se diz que Abrahão conheceu Sarah, não teve relação com Sarah! Assim, tal como a sensação que o povo judeu teve aos espiões chegarem na Terra Prometida e perceberem que teriam que trabalhar para funcionar a sociedade, não apenas viver de espiritualidade, grande parte dos casais não se conhecem e quando se conhecem se estranham, brigam e percebem que tem que trabalhar para relação funcionar, se submeter ou viver em conflitos, perguntando-se: Como posso ter me casado com alguém assim? Como fui tão cego, cega? Em uma metáfora com o episódio do povo judeu no deserto, é como passar mais 40 anos no deserto para se conhecer e chegar na Terra Prometida ou viver para sempre em um deserto de relação.


Diante dessa realidade, o que fazer Felipe? Felizmente, hoje muitos casais vem procurado a terapia de casal, antes e depois de casar, para se conhecerem e alinharem nos valores, planos e objetivos de vida!


O que aprendem, para que serve a terapia de casal, Felipe? Serve para muitas coisas, tais como desenvolver atitudes simples que fazem milagres, tais como: buscar se interessar pela vida do outro, compartilhar interesses, fazer encontros com casais amigos de cada lado e o maior deles: desenvolver a humildade, hábitos, doação, de elogiar o outro para ele(a) sentir-se amado e não viver em uma constante instabilidade em agradar o outro(a) para sentir-se conectado(a) diante dessa sociedade que vivemos que busca a todo custo fazer ficarmos insatisfeitos para suprirmos nosso vazio de afeto ou mesmo reconhecimento, comprando, comprando e comprando.


Pois é, presentes trazem sorrisos, mas não desenvolvem afeto, conexão, companheirismo, cumplicidade! Como desenvolver tais características para meu relacionamento, Felipe? Eis uma boa questão para tratarmos em nossa sessão do Descobrindo o Sentido!

Comente este artigo

Pesquise por um curso